Criado em 19-10-2010
www.facebook.com/clube.artfactu

sábado, 7 de julho de 2018

ARTFACTU 6 IBIZAS 5: EM MODO MONTANHA RUSSA

Último jogo da temporada com apenas 8 jogadores disponíveis já contando com o Tomás que mais uma vez se disponibilizou para ajudar.

Após os maus momentos recentes da equipa o objectivo para este jogo era consolidar o melhor momento em que nos encontramos mostrando mais consistência, coesão e disputa do resultado em todos os jogos.

Entrada em jogo com atitude a valer o 1-0 aos 4m através de um remate colocado do Cardoso mas 3m volvidos uma falha de marcação num lançamento lateral permitiu a um adversário receber a bola na "cara" do Manel fazendo o empate. 

O jogo decorria com maior predomínio da nossa equipa tendo Cardoso visto a barra devolver-lhe a bola

Aos 15m um passe errado na defesa dos Ibizas permitia a Cardoso rematar isolado para o 2-1 mas novamente 3m depois um passe infeliz de Manel para a entrada da área viu a bola ser capturada por um adversário que rematou de pronto para o 2-2.

A um minuto do intervalo Cardoso descaído da esquerda rematava para defesa do guarda-redes dos Ibizas que não conseguiu afastar a bola e Alex, oportuno, surgiu a fazer o 3-2 com que chegaria o intervalo.

Nova boa entrada no jogo na segunda parte com uma excelente jogada nosso logo aos 2m a ser concluída por um remate seco de Nuno já dentro da área com o guarda-redes a conseguir defender mas surgindo, de novo, Alex, com ângulo já reduzido, a bater a bola para o 4-2.

A nossa equipa dominava e Tomás numa boa acção ofensiva ultrapassava a defesa rematando com o pé esquerdo para grande defesa do guardião contrário enquanto Manel, menos chamado a intervir, mostrava sempre presença segura na nossa baliza.

Aos 11m do segundo tempo um contra-ataque rápido dos Ibizas iria resultar no 4-3 mas na cobrança de um livre directo Nuno bateria a bola forte para o 5-3.

A ganhar por 2 com menos de 10m para se jogar seria de prever que a equipa controlasse o jogo e fosse mais coesa defensivamente mas a vertigem ofensiva dos nossos jogadores impedia o correcto discernimento e compreensão do momento do jogo.

Tal incapacidade de gerir as emoções e o resultado seria novamente duramente castigada e em dois minutos os Ibizas fariam 2 golos chegando ao empate a 4m do fim.

Valeu a excelente reacção do grupo, sem discussões, sem baixar de braços, na procura da vantagem perdida e tal valeu-nos a felicidade encontrada num livre indirecto batido forte pelo Nuno com Cardoso a tocar muito ao de leve na bola fazendo o 6-5 valendo ainda a boa colocação no terreno do árbitro que conferiu o toque na bola do Cardoso ignorando os protestos dos nossos adversários faltavam já menos de 2m para o final da partida.

Vitória arrancada a ferros num jogo que seria tremendamente injusto não ganharmos tal como vários outros jogos em que deitamos fora a vitória em moldes parecidos.

12 Manel, 3 Tomás, 10 Rita, 6 Pedro, 8 Alex, 11 Nuno, 17 Cardosoi, 18 Pedro Alves

sábado, 23 de junho de 2018

ARTFACTU 3 VELHA GUARDA 3: O REGRESSO DA EQUIPA



Após o frustrante resultado da jornada anterior a equipa apresentava-se a jogo concentrada e disposta a fazer uma exibição com outros contornos.

Boa entrada na partida com as principais ocasiões de golo a surgirem no nosso ataque mas a serem desperdiçadas por Alex primeiro a Cardoso depois numa recarga a centímetros do poste que o guarda-redes dos VG conseguiu desviar para o poste.

Ricardo de fora da área tentava igualmente o golo e obrigava o guarda-redes adversário a grande defesa.

Com Manel a ser pouco chamado a intervir seria num erro de transição que surgiria o primeiro golo do jogo numa bola perdida por Méren a originar uma resposta rápida finalizada com um remate forte cruzado da direita.

Boa reação da equipa à procura do empate que só não surgiu poucos minutos depois num forte remate de Mauro porque o guardião dos VG efectuou nova grande defesa indo a bola embater ainda com estrondo no poste-

A nossa insistência seria contudo premiada com o golo do empate perto do intervalo numa bola ganha fruto da pressão alta exercida e que Alex finalizaria com um remate certeiro descaído da direita.

A entrada em jogo na segunda parte não foi tão bem conseguida com a equipa a "perder-se" um pouco no campo o que foi bem aproveitado pela turma do Branco para ganhar supremacia no jogo e colocar Manel com mais trabalho.

Curiosamente seria nesse período que chegaríamos à vantagem no resultado numa incursão de Méren pela meia esquerda, ultrapassando um adversário e apesar de ter abertura para finalizar com sucesso flectiu para a esquerda fazendo a bola sobrevoar o guarda-redes dos VG oferecendo o golo a Cardoso que surgiu a finalizar de cabeça junto ao segundo poste.

A vantagem duraria apenas um minuto já que uma falha de marcação permitiu a um adversário surgir a finalizar em posição frontal restabelecendo a igualdade.

Com o jogo agora mais repartido a nossa equipa procurava de novo a vantagem mas pecava sempre no capítulo da finalização desperdiçando jogadas ofensivas e a 4m do final, num ataque organizado dos VG, iríamos de novo facilitar permitindo uma variação de flanco ao ataque contrário com espaço e sem pressáo que resultaria no 2-3.

Forçados ao tudo ou nada a equipa foi em busca do empate mantendo o critério e tentando sair a jogar e a 2m do final Alex desmarcou Pedro na direita que assistiu Cardoso na área que, ao rodar para rematar foi agarrado de forma evidente por um adversário tendo o árbitro de pronto assinalado o penalti que Cardoso converteu fazendo o 3-3.

Instantes finais do jogo com Flores a efectuar remate ao ângulo para a defesa da noite do guardião dos VG indo a bola ainda beijar a barra mas a vontade de ganhar iria dar origem a um contra-ataque dos VG no último minuto de 3 contra 1 com a bola a conseguir ser cortada in extremis por Pedro.

Empate num bom jogo de futebol e numa exibição muito positiva da nossa equipa em que tivemos mais posse de bola e mais ocasiões flagrantes de golo que melhor aproveitadas nos poderiam conferir a vitória frente a uma excelente equipa dos VG, muito organizados e eficientes nas ocasiões obtidas.

12 Manel, 8 Alex, 13 Ricardo, 14 Flores, 7 Peter, 15 Méren, 17 Cardoso,
 3 Tomás, 16 Mauro e 6 Pedro

domingo, 3 de junho de 2018

CAF 1 ALL STARS 7: INACREDITÁVEL

E pronto, aconteceu algo sem explicação plausível.

Num jogo em que efectuámos uma das melhores primeiras partes do torneio tudo nos correu mal.

Primeira jogada do encontro e uma falha de marcação de Flores permite a um adversário receber a bola isolado e marcar o 0-1.

Boa reação da equipa a partir para cima do adversário e a obter de imediato o golo do empate por intermédio do Cardoso.

Depois, bem, depois começou o festival de golos perdidos que só quem esteve presente poderá atestar:

Cardoso enviou 4 (quatro) bolas aos postes em posição de fazer golo e ainda desperdiçou outras tantas oportunidades, algumas de forma incrível, outras com intervenções de qualidade do guarda-redes adversário mas em lances em que normalmente Cardoso não perdoa.

Flores com um remate colocadíssimo tal como Tomás noutra ocasião viram o guarda-redes dos All Stars fazer defesas incríveis.

Pelo meio Nuno e de novo Flores estiveram com tudo para marcar em mais, no total, de 12 bolas de golo todas falhadas.

E quem marcou foi o adversário graças a um penalti cometido por Nuno tão indiscutível como desnecessário.

E se a equipa veio para a segunda parte convicta de que a reviravolta e a vitória estaria ao nosso alcance o certo é que faríamos um segundo tempo fraco com a equipa a voltar aos maus hábitos antigos: passes errados, individualismos e desorganização táctica a abrir avenidas aos contra ataques do adversário que marcariam 5 golos sem resposta no tempo complementar quase todos muito facilitados.

Num jogo em que poderíamos ter chegado ao intervalo com uma vantagem de 3 ou 4 golos sem favor acabámos goleados por 7-1!

domingo, 27 de maio de 2018

CAF 2 ALL STAR TEAM 0: VITÓRIA DA UNIÃO E DA COESÃO DA EQUIPA

Jogo em atraso da segunda jornada  chegar numa boa fase da nossa equipa mas após mais uma semana difícil na convocatória para o jogo acabando-se contudo com 10 jogadores presentes embora dois limitados e que não conseguiriam terminar a partida.

Primeira parte muito disputada mas mais a meio campo, com pouca baliza. A nossa equipa, mais recuada no terreno, optou por privilegiar a solidez defensiva dando azo a maior posse de bola da equipa adversária. 

A nossa equipa mostrava dificuldade em chegar com perigo à área dos All Star mas, por outro lado, os caminhos para a nossa baliza eram bem fechados obrigado os adversários a rematar de longe e quando a bola saia enquadrada com a baliza Manel mostrava-se dono e senhor da situação.

Neste contexto a sensação de golo apenas surgiu quando Peter arrancou na direcção da baliza e serviu Ricardo descaído na direita para um remate rasteiro colocado ao poste mais longe fazendo a bola passar a escassos centímetros da baliza, situação idêntica num forte remate de longe que seu sensação de golo ao rasar o poste direito da baliza de Manel. 
 
Abreu, tendo conseguido comparecer extra convocatória iria estar poucos minutos em campo tendo a infelicidade de fazer uma entorse e Méren, vindo de lesão que afinal não estava curada, numa rotação para remate de longe sentiu uma reicidiva ficando igualmente afastado do jogo.

Ao intervalo a equipa rectificou algumas dinâmicas convicta de que a vitória estava ao nosso alcance e o jogo abriu-se um pouco mais. As jogadas de perigo surgiram então na baliza adversária mas também na nossa fruto do maior espaço agora concedido. Cardoso, de cabeça na sequência de um canto, ainda procura perceber como é que a bola não entrou e Peter estaria muito perto do golo quando rematou para defesa do guarda-redes dos All Star e na recarga fez a bola rasar o poste e Nuno, isolado por Peter, remataria à figura quando tinha tudo para fazer o golo. Na baliza oposta brilhava Manel com intervenções de grande nível sempre que era chamado a intervir.

O golo surgiria mesmo quando Cardoso, a passe de Peter, iria fazer o 1-0 mantendo a sua boa fase concretizadora marcando em todos os jogos e estaria perto de bisar numa grande jogada da nossa equipa com a equipa a sair a jogar tendo Pedro alves efectuado um passe na diagonal para o espaço vazio onde surgiu Nuno a desmarcar-se pela esquerda e a centrar rasteiro para Cardoso que quando contava já com o segundo viu um defesa conseguir desviar a bola in extremis.

Com os All Star a carregar na nossa área na busca do empate seria a nossa equipa a chegar ao 2-0 quando um centro de Nuno para Cardoso foi cortado por um defesa contrário para o interior da sua baliza.

Com 2-0 no marcador a vitória foi solidificada pela coesão defensiva conseguida e resultante de um grande jogo da equipa e de uma enorme entrega de todos os jogadores com destaque para o Manel na baliza e o Ricardo a secar o avançado contrário e a coordenar a nossa saída de jogo.

Manel, Rita, Ricardo, Pedro Alves, Meren, Nuno, Cardoso, Abreu, Tomás e Peter